2 de jul de 2010

Chovendo por dentro.

Te sinto voltando para mim, pouco a pouco, retomando o lugar que sempre fôra só seu. Sinto os olhos ardidos, o coração acelerado, sinto os arrepios, as lágrimas que não vem e aquela tristeza característica. Me pego contigo ao meu lado - ou seria dentro de mim - suspirando.
- Olá, solidão!
- Sabe - ela entoa com um ar etéreo parecendo infantil e sábia - não é certo pisar em flores, mesmo que sejam flores mortas.
- Por quê ? - Exasperei atônita, sem entender.
- Porque - Ela me tocou os lábios, silenciando, com seus dedos frios gentilmente, e sorriu, minha solidão era uma criança belíssima, afinal - mesmos flores mortas merecem respeito... - E continuou, após um muxoxo de reprovação, catando a flor desfolhada aos nossos pés, diante do meu olhar confuso - Flores nasceram para serem amadas.




Para ler ouvindo : Socorro - Arnaldo Antunes.

Um comentário:

  1. Adorei.A solidão nos mostra o quanto as mentiras sinceras nos ajudam a seguir. Saudades! ")

    ResponderExcluir

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !