6 de jul de 2010

Te Valorizo .

Está tudo bem, repeti mentalmente, eu sou linda e mereço ser muito feliz. Encarei o espelho, esquadrinhando minha silhueta, revisando mentalmente o que eu teria feito de tão horroroso que merecesse essas retaliações, depois de um tempo concluí que não havia nada de tão ruim na minha conduta e me senti nauseada.
Agora eu poderia te xingar, culpar, fazer inferno, poderia me transformar, virar santa ou puta, agora eu poderia ser o que eu quisesse, exceto por um pequeno impecílio...
Eu queria ser sua, exatamente isso. Pateticamente isso.
E foi essa consciência atroz que me entregou o " por fim ", não iria cortar os cabelos novamente, nem pintar os beiços, nem deitar com qualquer um, tampouco me vestiria de maneira extravagante. Continuaria sorrindo por bobagens, conversando com bichinhos e crianças, continuaria iluminando os olhos da mamãe e do papai com minhas travessuras estranhamente infantis, continuaria colorindo meu jardim promissor de sonhos com minha própria aquarela e meu próprio pincel.
Dizer que sinto muito pela dor que essa constatação vai te causar, seria uma mentira, um pecado. E você já deveria saber que eu não minto, como eu sei que toda essa minha incapacidade de te odiar te horroriza, você não entende a essência disso, não é ? Eu também não, tudo bem .
O fato é que eu não te odiaria, nem por um segundo, nem só por odiar, não seria capaz. O que eu sinto não cabe em palavras, nem nas suas nem nas daquela que leva pelas mãos, a quem aliás não me surpreende nada que leve pela mão, que te guie. O que eu sinto não é amargo como o seu perdão que nunca veio pelos meus erros de outrora, o que eu sinto é o que me faz flor, o que eu sinto foi o que me ensinou a ser quem sou. Por isso, eu te agradeço.
Obrigada pequeno pássaro de asas de cera, você me ensinou a voar. Agora eu estou indo em busca do meu verão, gostaria que pudesse fazer o mesmo, mas suas asas de cera derreteriam no caminho. Uma pena, companhia seria bom, a viagem é longa.
Tudo bem, não se preocupe comigo, cuide de si e dos seus, um dia- quem sabe - eu te conto as minhas aventuras e te deixo asas novas para voar sem culpa, mas hoje ? Hoje eu quero ir só.







Para ler ouvindo : Tiê - Assinado eu.

4 comentários:

  1. "O que eu sinto não é amargo como o seu perdão que nunca veio pelos meus erros de outrora, o que eu sinto é o que me faz flor, o que eu sinto foi o que me ensinou a ser quem sou."
    As coisas "boas" nos fazem felizes, as "ruins" nos ensinam, então caia muito, esfole muito seus joelhos e derreta um bom estoque de asas de cera, pra depois ganhar asas com as quais realmente poderá voar.

    ResponderExcluir
  2. Há um tempo eu queria ter tido a sabedoria de ter tramado essas palavras e mais ainda de ter dito a alguém com muito sabor.

    ResponderExcluir

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !