21 de jun de 2009

UM APELO!

Num turbilhão de coisas reais, vazias ou não . Mas reais, racionais, comuns e pálidas . Surge a imaginação, como uma dádiva, como um Graal, que pertence a quem é de alguma maneira, íntima e efêmera, crédulo e sabio . Não é tão difícil crer nas evidências de nossa imaginação, e agora não mais condenos os " loucos ", loucos somos nós de acreditar que nada existe, de acreditar no não-acreditar, loucos somos nós de vivermos assim, sem cor, sem brilho, sem imaginação.
Imaginar é o primeiro passo para acreditar, e acreditar é um dom, é acreditar - na verdade - que torna as coisas menos sombrias ou cinzas . Atire a primeira pedra quem nunca se arrepiou por uma história de terror, ou nunca cobriu-se dos pés à cabeça pela menção se algo que foge do padrão, algo sobrenatural .
Não minto, tenho medo do sobrenatural, não por jugá-lo cruel ou de qualquer forma conspirador, e sim por temer que essa minha inclinação a acreditar me leve longe demais, mais longe que os outros talvez e que eu me perca da ci(nza)vilização.
Shhhh, finjamos então! Por um intante que nunca nada existiu, que nada nunca existirá... Vamos ser céticos, obscenamente céticos, se quisermos continuar por aqui.




Como se os montros que temiamos quando crianças fossem menores que a opressão que os esconde de nós.
Como se as fadas, os elfos e as boas entidades, fossem apenas um devaneio infantil e a bomba atômica não fosse uma realidade tão dura.


E eu vos pergunto, GUERRA SIM, FANTASMAS NÃO ? MORRER, MATAR, ROUBAR, TORTURAR SIM, BRUXAS, DUENDES, GNOMOS, ORIXÁS, NÃO ?

Desculpa isso é demais para o meu imaginário.

20 de jun de 2009

Para Camilla Martinez ;

Minha fé é alada e não me é difícil trilhar um novo caminho nesse tortuoso percurso que o futuro sugere, que a gama infindável de possibilidades desenrola num gigantesco novelo a minha frente, e me é impossível me manter incólume ou obsoleta.
Conheço de perto a desagradável sensação de esperar pelo que não vem, a desegradável e aterrorizante sensação de frustração que se apondera sem muitos floreios de meus membros com um formigar característico e vai direto ao meu estômago que se torna repentinamente insaciável !
Mas a fé que é justa pondera e sabiamente opita por elevar-nos de maneira tal que possamos através dela ver que os sorrisos não vem, estão .

About me.

Quando minha alma se aquieta, como numa poça de águas cristalinas, posso me ver refletida, posso reconhecer alguém além das feições costumeiras. Não é fácil re-saber o que já lhe era sabido . O re-saber tem um sabor doce, agudo e melancólico, um gosto proviniente da infância, das descobertas que não se privam de encantos a todo momento.
Acontece que o nosso avanço físico nem sempre acompanha nosso avanço psicológico, por vezes um está mais além do outro, ou elegemos um para empurramos a um nível superior de maneiras pouco ortodoxas. Pois bem, me sinto hoje como se tivesse ignorado uma peça fundamental no quebra-cabeça da minha infância, me sinto hoje como alguém que sofre de síndrome de Peter Pan, me sinto como alguém engolindo aos bocados a realidade a fim de reestabelecer algum traço da infância ou pré-adolescência que foi deixado para trás.
Hoje eu acordei alguém entre Clarice Lispector E Meg Cabott . Questionando a origem da vida, anunciando o amor convenção e acreditando que alguns e-mail, chicletes e papo com as amigas resolva minha problemática espiritual. O fato é que de alguma forma meu cabelo tem aquele cheiro característico de cosmético infantil e meu perfume é excessivamente adocicado, o que combina perfeitamente com sua embalagem rosíssima, bem como minhas unhas estão bem cuidadas e pintadas de vermelho, numa tentativa frustrada de anuncia o meu pró-mulher, que nem quer ser pró de fato.
A paixão segundo GH ou o Diário da princesa ?
Hoje - quem sabe - ambos, amanhã... Talvez... Como saber ? (:

Sei que esse silenciar-me por hora me basta, por hora me faz bem .

15 de jun de 2009

Você que já esteve no céu, foi tudo divertido para você?
























































Chega a hora então de provar tudo que existe, tire agora os sapatos, jogue tudo pro alto, sinta o chão. Aprender a andar descalço num mundo de asfalto e sem coração, até que o mundo gire ao seu redor.
[...]










Vão falar que você não é nada!
Vão falar que você não tem casa!
Vão falar que você não merece, que anda bebendo, que está perdido.
E não importa o que você dissesse se seria desmentido...










Vão falar que você usa drogas e diz coisas sem sentido... Se eu for ligar pro que é que vão falar não faço nada.










Eu procuro tentar entender porque sou importante para você, já que é bem melhor ser importante para si mesmo. Eu não quero mudar! Ser mais esperto, ser mais discreto ?! Já cansei de propostas, dar respostas... Ter que dar certo ...




















Até que o mundo gire ao meu redor.




















O mundo, Capital inicial.

3 de jun de 2009

Indignação .

Não suporto quem ignora a importancia de estudar Sociologia/História/Geografia, porque simplesmente não entendo a incapacidade de olhar para o mundo através dos olhos de um indivíduo social. Que não é nem só indivíduo nem de todo social, mas é os dois. Quem não entende o porque de estudar sociologia não entende de mais nada dentro da sociedade, é - com o perdão da palavra - ignorante .
Não suporto quem atribui a palavra Política a política partidária e já se torna avesso a Política sem saber de fato do que se trata.
Não suporto que não gosta de ouvir verdades por comodismo .
Não suporto quem ignora o certo, e taxa o mesmo por jugá-lo careta. Se ser correta é ser careta, deixe-me cá com minha caretisse .
Não suporto quem é hipócrita.
Não suporto quem não critica a si mesmo em função da sua melhora.
Não suporto quem faz da vida um exercício da procastinação.
Não suporto quem sequer tenta e já desiste.
Não suporto e não entendo quem faz da vida APENAS um oba-oba.
Não suporto quem maltrata crianças e animais .
Não suporto quem vê e acha tudo normal.
Não suporto normalidades, banalidades, futilidades e afins .
Não suporto .

O que não quer dizer que eu não erre, o que não quer dizer que eu nunca tenha errado, mas o que quer dizer que ao menos eu me empenho em sair da vala comum, que eu conheço o errado e que faço de todo o possível para que o mundo a minha volta ( que expressão egoísta ) mude.


E aquela fábula do sabiá que com uma gota d'água ajudou a apagar um incêndio é a mais pura verdade .

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !