29 de jul de 2010

Cherry.

Frágil, muito frágil, e agora - também - distante . Uma devoradora de músicas e livros, leituras em geral, lê a tudo e todos, tem os amores alheios como seus, devaneia com as amigas, chora infindáveis horas pelo que nunca foi seu.
E lê, porque busca nos livros um subterfúgio de todo o mundo de sentimentos que não tem, não sente e não vive . Lê sempre os mesmos de romances bonitos com finais felizes, sentada, esperando, desejando, que o seu próprio final feliz chegue e a salve, não de " quem ", mas de si e dos próprios - frágeis - castelos de cartas passadas.
Lágrima nenhuma, não há mais dor ali, não há mais nada, só d e s i l u s ã o ... Soprando gelada, soprando e arrebatando o último filete de esperança. " É a minha felicidade saindo de mãos dadas com outrem "

20 de jul de 2010

A letra A ? Que nada !

Te odeio como se odeiam algumas coisas pérfidas e nulas da vida
Entre a idolatria e o desprezo,
Te odeio porque não sei detestar de outra forma,
Senão essa em que não sou, nem és.
Mas sobretudo te odeio na proporção
em que tuas atitudes infantis me enojam.
E que fazes morrer a empatia no peito meu.
Además, o amor que me perdoe mas eu me demito.






Depois ofereço créditos, ainda estou colérica.

18 de jul de 2010

Desistir -

Quando não dá mais para sorrir
O mesmo sorriso de outrora
E de manhã a apatia é sua Aurora
Quando no cheiro de chuva
Não há mais nada de Mágico
E aquele amor ainda está latente
" Soldado morto, fardo n'outro ! "
Sorri, demente, descrente ...
Queria te falar, se ousasse me ligar
Nunca ninguém ocupará seu lugar.
Mas agora é bandeira branca,
Desisti, sejamos felizes assim:
Você lá, eu cá.

11 de jul de 2010

Ser Humano.

Não é ser sincero, é ser honesto. É ter Dignidade . É ser Humano, até para fazer outro humano chorar. Isso é decência.
E ter decência depende exclusivamente de ter valor. Ser limpo, íntegro.
Ser Humano, é ser uma pessoa dotada de humanidade e atribuições que façam delas humanas, para errar e acertar, mas os seus erros - humanos - não devem fazer de você alguém sujo, pérfido .
Repugno aos que, podendo falar a verdade, mentem . Mentem porque são inseguros e péssimos gerenciadores dos próprios sentimentos, mas ninguém, ninguém mesmo, tem culpa da sua gestão medíocre, e ninguém tem que pagar por isso .
Não se maltrata flor nenhuma, e todos os seres humanos são em princípio flor, perdem sua beleza e involuem Lamarquisticamente pela falta de uso de suas humanidades.
Tenho dó, entretanto, de quem furta-se a oportunidade de experimentar a verdade, vivendo de mentiras convenientes. Agravando a marcha silenciosa de falência dos valores que nos fazem humanos.
RESPEITO, respeitar-se e respeitar ao outro. Não macular o que não lhe pertence, e mesmo o que lhe pertence, respeito é um bem universal, não se troca, não se dá em favor de nada, respeito é constante, nunca variável. Respeitar-se, é respeitar a sua comunidade e a si mesmo enquanto indivíduo, o respeito está presente nos pequenos atos, numa briga branca, numa resposta, num bom dia e mesmo na presença de um desafeto .
Entendo portanto que uma pessoa sem esses atributos é uma pessoa cujo a humanidade foi ferida, e uma vez ferida dificilmente ela se reestabelecerá.

Francamente, estou indignada, ultrajada, ofendida diante dos últimos acontecimentos, nacionais e pessoais. Mas isso não abala a minha fé, nem me faz ter vontade de mudar quem sou, não sou conveniente, eu sou EU .

Caros Amigos,


Prudência, Bondade, Fé, Justiça e Diplomacia.
Prepotência, Arrogância, Conveniência, Autoritarismo, Orgulho .
Força, Fragilidade, Positividade, Sensatez e União .
E nos dávamos muito bem . E reconhecíamos uns nos outros e gostávamos do aconchego dos braços, dos abraços, dos sorrisos e fazíamos o inacreditável, e quando estávamos juntos éramos o que éramos, e não importava se era bom ou ruim para o resto do mundo, nos bastávamos em nós mesmos e já havia algum tempo . Não é limitação demais, em um mundo de crianças assassinas, querer ser criança ao lado dos mesmos, não é limitação demais unir-se pelas diferenças e descobrir que a equação, na verdade, é bem simples. Éramos, somos e seremos absolutamente iguais e absolutamente diferentes, e é essa complexidade que faz de nós quem somos.



Amor, Fragilidade .

8 de jul de 2010

Eu sou o sol, sou eu quem brilho.

Eu sou feliz, e você, quem é ?
Quem tenta me destronar
Não vê o óbvio ululante,
Que na verdade vou errante
O meu caminho trilhar,
Que não peço nada a ninguém
E nem tenho medo de chorar
Que compreendo que grandes passos
Exigem grandes sacrifícios
Mas luto pelos meus ideais
E sigo meus objetivos
De bem com a vida, de bem comigo
Sua cara emburrada, nauseabunda da vida
Não me faz menos entusiasta do bem, nem menos divertida
Deve ser isso, então
Eu segui em frente, você ficou na contra-mão
Cresci e descobri sozinha
Que o impossível é questão de opinião.







Meu sol te cega.

6 de jul de 2010

Te Valorizo .

Está tudo bem, repeti mentalmente, eu sou linda e mereço ser muito feliz. Encarei o espelho, esquadrinhando minha silhueta, revisando mentalmente o que eu teria feito de tão horroroso que merecesse essas retaliações, depois de um tempo concluí que não havia nada de tão ruim na minha conduta e me senti nauseada.
Agora eu poderia te xingar, culpar, fazer inferno, poderia me transformar, virar santa ou puta, agora eu poderia ser o que eu quisesse, exceto por um pequeno impecílio...
Eu queria ser sua, exatamente isso. Pateticamente isso.
E foi essa consciência atroz que me entregou o " por fim ", não iria cortar os cabelos novamente, nem pintar os beiços, nem deitar com qualquer um, tampouco me vestiria de maneira extravagante. Continuaria sorrindo por bobagens, conversando com bichinhos e crianças, continuaria iluminando os olhos da mamãe e do papai com minhas travessuras estranhamente infantis, continuaria colorindo meu jardim promissor de sonhos com minha própria aquarela e meu próprio pincel.
Dizer que sinto muito pela dor que essa constatação vai te causar, seria uma mentira, um pecado. E você já deveria saber que eu não minto, como eu sei que toda essa minha incapacidade de te odiar te horroriza, você não entende a essência disso, não é ? Eu também não, tudo bem .
O fato é que eu não te odiaria, nem por um segundo, nem só por odiar, não seria capaz. O que eu sinto não cabe em palavras, nem nas suas nem nas daquela que leva pelas mãos, a quem aliás não me surpreende nada que leve pela mão, que te guie. O que eu sinto não é amargo como o seu perdão que nunca veio pelos meus erros de outrora, o que eu sinto é o que me faz flor, o que eu sinto foi o que me ensinou a ser quem sou. Por isso, eu te agradeço.
Obrigada pequeno pássaro de asas de cera, você me ensinou a voar. Agora eu estou indo em busca do meu verão, gostaria que pudesse fazer o mesmo, mas suas asas de cera derreteriam no caminho. Uma pena, companhia seria bom, a viagem é longa.
Tudo bem, não se preocupe comigo, cuide de si e dos seus, um dia- quem sabe - eu te conto as minhas aventuras e te deixo asas novas para voar sem culpa, mas hoje ? Hoje eu quero ir só.







Para ler ouvindo : Tiê - Assinado eu.

5 de jul de 2010

Passarinho .


Ela era toda melodia, e ele todo sorrisos. Tiveram uma filha, que era toda luz e vôo, e eram felizes assim, voando, cantando, sorrindo e iluminando. Nos domingos faziam ninho, todos juntos, saboreando o calor de seus corpos, aquele calor fraternal e aconchegante que só se encontra no colo da mamãe e no abraço do papai. Assistiam filmes, coloriam conversas, brigavam e faziam planos, a menor do clã era tagarela, mamãe canção a ensinou que as vezes precisamos de pausas na música e papai felicidade simplesmente sorriu para ela, e viveram a vida sempre assim, como se todos os dias fossem domingos-de-ficar-em-casa, como se só os sonhos de domingos se bastassem, e eram felizes.

3 de jul de 2010

De linho nobre e pura seda

Algumas coisas ecoam em mim espalhando " REJEIÇÃO " em letras garrafais, e isso me adoece, você não entende... Eu não me sinto incompreendida, porque ser incompreendida é como tentar entender pela metade, e eu me sinto sem tradução só ensimesmada de tudo que me acontece, e o que eu faço ? O que eu faço quando eu vejo tudo dar errado ? O que eu faço com essa covardia ? O futuro não é mais como era antigamente. Eu sei que eu quis o perigo, eu sei que eu tô sangrando sozinha, eu entendo. Mas quando eu vou ter você de volta pra mim ? Quando eu vou descobrir que é sempre ( só) você que me entende do início ao fim ? E como eu vou saber se é mesmo você quem vai curar esse meu vício de insistir nessa saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi ?
E de mim ? Quem vai cuidar de mim ? Quem vai morrer por mim quando for a minha vez de morrer ? Tentei chorar e não consegui.







- Referência - ÓBVIA - a Índios do Renato Russo . (:

2 de jul de 2010

Chovendo por dentro.

Te sinto voltando para mim, pouco a pouco, retomando o lugar que sempre fôra só seu. Sinto os olhos ardidos, o coração acelerado, sinto os arrepios, as lágrimas que não vem e aquela tristeza característica. Me pego contigo ao meu lado - ou seria dentro de mim - suspirando.
- Olá, solidão!
- Sabe - ela entoa com um ar etéreo parecendo infantil e sábia - não é certo pisar em flores, mesmo que sejam flores mortas.
- Por quê ? - Exasperei atônita, sem entender.
- Porque - Ela me tocou os lábios, silenciando, com seus dedos frios gentilmente, e sorriu, minha solidão era uma criança belíssima, afinal - mesmos flores mortas merecem respeito... - E continuou, após um muxoxo de reprovação, catando a flor desfolhada aos nossos pés, diante do meu olhar confuso - Flores nasceram para serem amadas.




Para ler ouvindo : Socorro - Arnaldo Antunes.

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !