3 de jul de 2010

De linho nobre e pura seda

Algumas coisas ecoam em mim espalhando " REJEIÇÃO " em letras garrafais, e isso me adoece, você não entende... Eu não me sinto incompreendida, porque ser incompreendida é como tentar entender pela metade, e eu me sinto sem tradução só ensimesmada de tudo que me acontece, e o que eu faço ? O que eu faço quando eu vejo tudo dar errado ? O que eu faço com essa covardia ? O futuro não é mais como era antigamente. Eu sei que eu quis o perigo, eu sei que eu tô sangrando sozinha, eu entendo. Mas quando eu vou ter você de volta pra mim ? Quando eu vou descobrir que é sempre ( só) você que me entende do início ao fim ? E como eu vou saber se é mesmo você quem vai curar esse meu vício de insistir nessa saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi ?
E de mim ? Quem vai cuidar de mim ? Quem vai morrer por mim quando for a minha vez de morrer ? Tentei chorar e não consegui.







- Referência - ÓBVIA - a Índios do Renato Russo . (:

2 comentários:

  1. O que é que tu tem, hein Madame Gilda? Há dois dias, nossos estados de espírito se irmanam \o

    e quanto ao textículo, claro que gostei, como sempre

    'eu sei que eu tô sangrando sozinha'

    (juro que enxerguei menstruação nisso )

    memate.

    AHUSHUHAUSHHAH
    bejunda leitenan;*

    ResponderExcluir

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !