24 de dez de 2010

Eu fiz um altar pra te receber ;

Você sabe, sou crédula, promessas, santos e patuás, essa sou eu. Todos os anos, desde sempre, no último minuto do ano, com a boca cheia de lentilha, uva, metida numa roupa branca, pulando sete ondas clássicas, em Salvador, no Rio Grande do Sul, em Cacha Prego ou onde fosse sempre pedi a esse ser desconhecido que rege o universo um amor. Um amor desmedido, avassalador, que não coubesse em mim. Esse ano, em seu primeiro minuto, eu pedi baixinho a Deus uma porção de coragem, uma sabedoria lúcida e fé, fé, sobretudo. E aí me veio você. Você que é sim tudo que eu sempre quis, tudo o que eu sempre sonhei. Meu maior presente nesse Natal. Essa história que por si só é pura poesia, prosa, trova, lira. Esse amor tão imenso e desmedido, esse isso que eu nunca senti por mais ninguém, que nunca foi tão intenso assim, que nunca... Porque nunca, até então, eu tinha encontrado você, você que me completa, que me preenche, que me rouba o sono, você que é absolutamente... Sim, desde que eu te vi, eu te quis.

3 comentários:

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !