30 de abr de 2010

Um cigarro, um segredo e nada mais.


Isso mata, você deveria parar.
Tudo mata, tristeza mata mais
amor mata mais, viver mata mais
E quem pode diagnosticar ?

Quantas vezes mais me sentirei devassa,
Nos meus caminhos tortos, sem tino,
Deixando por aí rastros de fumaça.
Quantos outros segredos guardarei desse azar
E quantas outras vezes verei minha mãe prantear
o vazio dos sonhos que não me viu realizar ?

Viver é um morrer progressivo
Dotado de um mistério medonho
Que só alguém que em pesadelos vê sonho
É capaz de adjetivar.



2 comentários:

  1. muito bom, vale ressaltar a minha preferencia pela ultima estrofe
    :D

    ResponderExcluir
  2. Você está se transformando na escritora que eu sempre sonhei.

    ResponderExcluir

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !