6 de mar de 2009

Estequiometria visceral ;


Sempre que existe excesso de um lado, do outro vai existir carência.

Sabe o que é fantástico na escola ? É pegar tudo que é aprendido na sala de aula e ver que isso de fato se aplica no cotidiano, ainda que de maneira inusitada.

No campo das relações interpessoais é comum que as " reações " não estejam balanceadas, e caiam nas suas mãos de químico principiante como uma árdua tarefa . Mas como nas relações estequiométricas existem casos especiais. Pureza, Rendimento e Excesso .

Conceitos :

PUREZA¹ : Quando os reagentes não são puros, para poder calcular-los tem que saber a massa real dos mesmos.
RENDIMENTO² : O produto da reação é inferior a 100%, ou seja só parte do reagente atuou de maneira eficiente.
EXCESSO³ : Quando um dos reagentes desobedece a proporção inicial e se torna sobra no produto.

Relações :

¹ - Sabe aquela pessoa em que você nunca sabe se pode confiar completamente, porque você não sabe de verdade quem ela é ? Taí um exemplo claro de Pureza. Você só pode ter fé naquela pessoa quando você passa a conhecer quem ela é de verdade.
² - Sabe aquela relação que não vai para frente porque você se doa completamente e o seu/sua amante não é 100% contigo ? O que seria isso senão rendimento ?
³ - Essa é a relação estequiométrica que mais chama a minha atenção porque entre outras coisas ela impõe que se há excesso de um na proporção é porque também há a carência de outro reagente, reflita: quantas vezes a gente " se joga " em qualquer tipo de relação, e deixa a desejar ? Porque o resto do mundo não tem que obedecer as proporções da nossa intensidade.



Sempre que existe excesso de um lado, do outro vai existir carência, eu ratifico. E isso se apresenta das mais diverssas formas : excesso de ciúme em um relacionamento, causa uma carência afetiva, carência de respeito, carência de confiança na relação.
Excesso de amor, também causa carência, meus amigos. Nem todo mundo está preparado para receber amor em demasia, e o amor sufoca e provoca a ausência de paixão no outro.
E por fim: Excesso de expectativa, causa carência de realização, levando a reação a ter uma sobra de expectativas inábeis que são apenas frustrações.

E é incrível como no cotidiano é fácil ( extremamente fácil ♪) se achar numa estequiometria viceral e justamente por causa do excesso .

Então, meus caros novos químicos, o que nos cabe fazer dessas reações? Balanceá-las, ! É o que na prática vamos chamar de " comedir ", " sutilizar " ; É tirar um pouco da efusão de maneira sensata. Não se pode, CLARO, destruir a efusão e simplesmente parar de nutrir qualquer tipo de expectativa, o que se deve é ( Homenagem a Nereu Mineiro ) aprender a gerenciar suas frustrações, porque se nem os químicos e sua genialidade fazem com que todas as reações sejam perfeitas, nós também não precisamos nos pratulhar tão duramente se soubermos, contudo, genrenciar as frustrações que virão.




E acredite, elas vem!

5 comentários:

  1. Você é tão linda, Naninha! Gosto de quando você escreve assim.

    ResponderExcluir
  2. Gosto do jeito que você abusa das palavras. Sério, eu não tenho esse dom, costumo ser sincero.
    Mas de toda forma, parabéns.

    ResponderExcluir
  3. AAAÊ! Que linds a postagem. Poeta inteligente, adorei. ♥

    ResponderExcluir
  4. "E é incrível como no cotidiano é fácil ( extremamente fácil ♪)" - kkkkkkkk euri

    As aulas de Dan-Dan rendem, não? huahuahuahua
    muito bom o texto

    ;*

    ResponderExcluir
  5. Vencendo as barreiras do óbvio. =)

    Bem interessante o texto, parabéns.

    ResponderExcluir

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !