17 de mai de 2010

Onde brilhem os olhos seus.

Das mãozinhas rápidas cortando o ar em movimentos repetitivos, acompanhados de gritos e chutes. Eu com um sorriso orgulhoso no rosto e os olhos colados na pequena Karateca, aplausos. Quanta força!
E ela se despediu do seu público eufórico com um cumprimento tradicional e veio até mim, sorrindo tranquila! Às vezes eu queria te pegar no colo . Abracei, como todos os abraços que destinava a ela, com força, vivacidade, duas palavras que eram só dela e que de alguma forma ela extraia de mim num abraço.
Gostaria de te dizer o quanto eu me orgulho.
Cutuquei as costelas, ela parecia sempre tão frágil, ela exclamou qualquer coisa e esboçou uma reação, mas tão logo aquietou-se com as perninhas bem juntas e as mãos sobre elas e começamos a cantarolar juntas uma música, rimos da nossa sincronia, ríamos muitas risadas daquela forma.
Nos despedimos, sabendo que estaríamos em nós a cada nova manhã, sabendo que não nos largaríamos nunca. Não solta da minha mão ? Nunca!
Já éramos parte uma da outra, e era esse ser em partes que nos dava forças para continuar.

Eu não sei dizer o que quer dizer, então eu escuto.

Obrigada por me deixar em parte ser você, Thainá Freitas.


2 comentários:

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !