9 de dez de 2011

Água da minha sede, bebo na sua fonte.

 O gosto dos lábios, os grandes, os pequenos e aqueles que sorriem, que colados aos lábios meus, de sortidos tamanhos e cores, tem a mesma avidez. E embora com sofreguidão tenha me afastado dos lábios todos, beijo a saudade. Nem era pelo sexo que foi o sexo feito. Era pelo estar ali, por merecer aquele arroubo de intimidade e prazer, porque a gente nada nada nada e nada cinco dias na semana em buscas tão vãs quanto imediatas, mas é no seio nosso que amamentamos nossa sina, sina de si. Zona de conforto é o músculo que tremelica metido entre as pernas outras e ainda não. E ainda não é a comodidade da mentira, nem o conforto do inabitável - para além - nosso. E ainda não é nada disso que o beijo selou com gozo, e o gozo fincou-se em gosto.


         O amor não é da ordem das compreensões.

Um comentário:

  1. Boa Tarde, gostei imenso desta publicação, fez-me meditar em algo importante. Já agora. Criei no passado dia 1 um site, para download´s, de filmes, series, musicas, jogos etc..
    Se você quiser algum filme em particular basta colocar um comentario com o filme que quer, e nós disponiviliza-mos o filme em 24h.
    Acessem ai, http://www.zugatuga.blogspot.com/
    Obrigado
    Abraço.

    ResponderExcluir

Picolé de Chuchu ;

Fria e Indigesta !